Estudo do comportamento das plantas

Para que a turma entenda que os seres vivos não são apenas aqueles que se movem, investigar o comportamento das plantas é essencial

POR:
Amanda Polato
Fotos: Tadeu Bianconi
OLHAR MADURO (à esq.) A turma de 2º ano da EMEF Suzete Cuendet observa como as plantas se desenvolvem
MUDANÇA NO PAPEL (à dir.) Por meio de desenhos, a garotada compara semanalmente o crescimento dos vegetais. Fotos: Tadeu Bianconi

O conceito de ser vivo é um dos mais importantes da área de Ciências nos anos iniciais do Ensino Fundamental. É ele que forma a base do estudo da Biologia - que, não por acaso, significa "estudo da vida". No entanto, o assunto gera muitas dúvidas entre os alunos. No livro A Representação do Mundo na Criança, o suíço Jean Piaget (1896-1980) mostra que, em geral, crianças com idades entre 8 e 10 anos acham que só é vivo aquilo que tem movimento próprio e espontâneo. E definir a vida é algo complicado até mesmo para os cientistas. "A Terra tem mais de 1,3 milhão de espécies de animais, mais de 350 mil de plantas e, somados, 150 mil procariotos, fungos e protistas. Isso sem contar milhões de espécies que ainda desconhecemos. Essas formas são tão diferentes umas das outras que é difícil encontrar uma definição que englobe todas", explica Rodrigo Willemart, professor da licenciatura em Ciências da Natureza da Universidade de São Paulo (USP). Qual, então, é a melhor maneira de mostrar à turma que a vida vai além dos animais?

O mais eficaz é apostar na observação e na investigação da natureza (leia a sequência didática), como a professora Patrícia Bastos fez com os alunos do 2º ano da EMEF Suzete Cuendet, em Vitória. No início do trabalho, os alunos não tinham dificuldade em dizer que animais de estimação eram seres vivos. Porém as plantas não entravam na mesma categoria porque não se mexiam espontaneamente e não saíam do lugar. "Só mudaram de ideia ao acompanhar o desenvolvimento de diversos vegetais na horta da escola", conta a professora. Por meio de análises comparativas dos desenhos, a garotada testemunhou o crescimento de plantas, como a couve e a alface, e entendeu o papel de suas partes - a raiz, que retira do solo nutrientes e água, e as folhas, que aproveitam a energia do Sol para realizar a fotossíntese.

Depois do trabalho de campo, aí, sim, é possível caminhar para a enumeração de categorias de cada ser analisado, detalhando sua capacidade de desenvolvimento e reprodução. O essencial é que a turma entenda a vida como a propriedade que caracteriza os organismos que respondem a estímulos ambientais e cuja existência evolui desde o nascimento até a morte. Isso vale tanto para animais e vegetais como para organismos como fungos e bactérias, que serão estudados nas séries seguintes.

Quer saber mais?

CONTATOS
Emef Suzete Cuendet, tel. (27) 3223-9988
Rodrigo Willemart

BIBLIOGRAFIA
A Representação do Mundo na Criança, Jean Piaget, 328 págs., Ed. Idéias & Letras, tel. 0800-16-0004, 45 reais

INTERNET
Livro Ensino de Ciências por Investigação.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias