Blog de Alfabetização

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

Registrando o avanço dos alunos na alfabetização

Acompanhei três alunos no início do bimestre e agora; veja a evolução

POR:
Mara Mansani
Autorretrato de uma aluna em seu portfólio Crédito: Mara Mansani

Este ano, tenho 33 alunos em minha turma, em sua maioria, crianças de seis anos de idade. Vocês já devem imaginar que minhas aulas são sempre agitadas, com alunos que falam bastante, conversam, trocam ideias, são cheios de perguntas e necessidades de expor suas opiniões e hipóteses. Eu também falo bastante e não paro um minuto, orientando o uso dos cadernos, fazendo intervenções pedagógicas para que eles avancem nas aprendizagens, ouvindo a todos com atenção, gerenciando conflitos, contando histórias... Saio exausta no final do período de aula.

Apesar do ritmo intenso, como é gostoso ver a evolução da aprendizagem das crianças no processo de alfabetização. Mas como acompanhar o desenvolvimento de tantos alunos? Qual a melhor forma de registrar esse processo?

Como eu já disse neste post, como alfabetizadora eu acredito que o portfólio da turma é a melhor maneira de acompanhar a evolução da aprendizagem. É um instrumento de avaliação que proporciona uma visão geral e detalhada, ao mesmo tempo, sobre o processo.

Neste ano, já comecei o portfólio da minha turma de alfabetização. Um dos principais documentos que compõem esse importante instrumento avaliativo é o relato, que deve ser sucinto, com a análise da escrita de cada aluno, realizada em momentos de sondagem.

Para fazer o registro escrito, você pode se fazer as seguintes perguntas: O que meu aluno já sabe e o que apresenta dificuldade? Há algum problema de aprendizagem? Qual a sua hipótese de escrita? Como é sua participação em sala de aula? Quais são as intervenções necessárias para que ele avance em suas hipóteses? Quando o registro é feito em um segundo momento: Quais foram seus avanços?

Vejam como eu fiz minha análise sobre a evolução da aprendizagem de três entre meus novos alunos. Ela aconteceu em duas sondagens, a primeira em fevereiro e a segunda agora em abril.

Na primeira sondagem, foram ditadas as palavras CANETINHA - APONTADOR - CADERNO - LÁPIS - GIZ

Na segunda sondagem: BRIGADEIRO - PIRULITO - GELATINA - SORVETE - PUDIM - BOLO

Aluna 1

Primeira sondagem (fevereiro)

Ela ainda fará seis anos este ano. Faz parte do grupo de alunos mais novos da turma. Muito agitada, com dificuldade em manter a concentração nas atividades realizadas. Ainda não consegue resolver suas dúvidas e seus conflitos sem chorar e gritar, mas ao mesmo tempo é extremamente carinhosa e cativante. Não apresenta, aparentemente, nenhum problema que possa comprometer sua aprendizagem.

Ainda não conhece nem nomeia todas as letras do alfabeto. Na sondagem inicial, não conseguiu escrever as palavras ditadas (canetinha, apontador, caderno, lápis e giz). Escreveu somente a letra "C". Mostrou-se completamente aflita no momento da sondagem. Disse várias vezes "Mas eu não sei escrever!". Pela minha análise da sondagem inicial e de outras atividades de escrita feitas por ela, concluo que ela está na hipótese pré-silábica.

Segunda sondagem (abril)

A aluna está mais calma e participativa em sala. Se mostra contente consigo mesma. Agora, são raras as vezes em que chora e grita em sala de aula e já segue as regras combinadas coletivamente no início do ano. Já consegue encontrar soluções para seus conflitos conversando e pedindo ajuda.

Percebo que tem uma boa capacidade de aprender auditivamente. Faz todas as atividades propostas sem apresentar grandes dificuldades. Seu caderno está muito bem organizado e a escrita de suas letras está uniforme. Adora as leituras diárias de livros de literatura infantil. Avançou em sua hipótese de escrita, agora se encontra em transição da hipótese silábica com valor para a silábica alfabética.

Aluna 2

Primeira sondagem (fevereiro)

A aluna tem seis anos de idade. Apesar de tímida, tem um bom relacionamento com todos. É calma e organizada com seus materiais escolares. Compreende com facilidade todas as comandas em sala de aula. Tem muito prazer em estudar e estar na escola. Se encontra na hipótese silábica com valor sonoro. (Veja o registro da atividade que ela fez na imagem abaixo).

Segunda sondagem (abril)

A aluna continua evoluindo muito bem em sua aprendizagem. Avançou em sua hipótese de escrita, e está praticamente alfabética.

Aluno 3

Primeira sondagem (fevereiro)

Aluno extremamente agitado. Faz parte do grupo dos alunos que farão seis anos esse ano. Não consegue organizar o material escolar, e usar o caderno não é uma tarefa fácil devido a limitação dos espaços. É muito carinhoso e divertido. Tem um bom relacionamento com todos. Sempre apresenta argumentos bem interessantes e inteligentes em nossas rodas de conversa.

A dificuldade em se concentrar atrapalha o desenvolvimento de suas atividades, mas não percebo nenhum problema mais sério que o impeça de aprender. Apesar de impaciente, adora as leituras de livros de literatura em sala de aula.

Segunda sondagem (abril)

O aluno está um pouco menos agitado em sala de aula, mas ainda há dias em que não consegue ter atenção e calma. Nesses dias, ficar em seu lugar é uma tarefa difícil. Tem uma certa facilidade para aprender auditivamente. Ainda não consegue organizar o caderno e nem cuidar do seu material. Avançou para a hipótese silábica com valor.

Como vocês podem ver, eu acabo escrevendo mais ou menos, de acordo com a personalidade de cada aluno e as minhas necessidades. Dessa maneira, vou construindo o portfólio da turma, com esses registros sobre a situação de aprendizagem de cada aluno, relatórios da turma como um todo, fotos, sondagens realizadas, desenhos e outras produções.

Essa organização facilita o meu olhar avaliativo de cada aluno. Sei que dá trabalho, mas vale a pena pois não vou perdendo pelo caminho, ao longo do ano, esses momentos preciosos e as informações que me ajudam a entender quem são meus alunos.

E vocês, queridos professores? Como fazem e organizam a evolução de sua turma e de cada aluno? Conte aqui nos comentários!

Um abraço e até semana que vem!

Mara Mansani