“Continuo colhendo frutos da minha participação no Time de Autores”

Por conta de sua experiência com NOVA ESCOLA, a professora pernambucana Monica Dias do Nascimento foi chamada para integrar projetos de relevância nacional

POR:
Camila Cecílio
A professora Monica do Nascimento, de Pernambuco: autoestima em alta com participação no Time de Autores  Foto: Acervo pessoal

Há dez anos, a professora Monica Dias do Nascimento, 38 anos, pensou em desistir da profissão após ter sido vítima de agressão dentro da escola em que dava aulas, no Recife (PE). Sem que houvesse qualquer conflito, a educadora levou uma pedrada enquanto passava conteúdos de Matemática para o quadro. A pedra, atirada por um aluno, causou dor e sofrimento, mas também impulsionou a busca por uma vida melhor por meio dos estudos.

LEIA MAIS   "Fazer parte do Time de Autores mudou minha vida"

“Na época, o desânimo foi imenso, foi o dia mais difícil da minha vida como professora”, relembra Monica. Ela garante, no entanto, que o fato serviu para impulsionar sua carreira. Depois do episódio de violência, Monica decidiu abrir mão do concurso público no qual havia sido aprovada há apenas um ano e ingressou no mestrado de Ciências com habilitação em Matemática. Doutoranda, ela se deparou com um novo desafio: integrar a equipe do Time de Autores NOVA ESCOLA, responsável pela criação de 1.500 planos de aula de Matemática alinhados à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), e que estão disponibilizados gratuitamente na nova plataforma do site de Nova Escola.

LEIA MAIS   Saiba mais sobre o Time de Autores NOVA ESCOLA

Como conseguiu virar a página? “Não vi aquilo [a pedrada] como um ponto final. Todo o caminho que percorri me trouxe onde estou hoje, feliz e me sinto muito satisfeita com tudo que conquistei”, afirma

 

Autoestima

Era um dia rotineiro para Monica quando uma amiga mandou o link para a seleção do Time de Autores NOVA ESCOLA. “Naquele momento, não fazia ideia de que seria selecionada”, conta. Como muitos de seus alunos costumavam fazer com ela, Monica deixou para fazer sua inscrição na última hora, “sem muitas expectativas”. “Estava trabalhando quando me ligaram para informar que eu tinha sido selecionada. Minha felicidade foi tão grande que eu não pude conter a emoção, contei para os meus colegas, mas depois pedi sigilo até sair a divulgação”.

Após a seleção, a primeira mudança na vida de Monica foi a elevação de sua autoestima. Embora já estivesse vivendo um bom momento profissional na época, ter sido escolhida para fazer parte do projeto elevou sua confiança. “Ter meu plano selecionado pela Nova Escola, que é uma revista nacionalmente conhecida, respeitada e referenciada pelos professores, é um diferencial na minha carreira”, afirma.

 

Oportunidades

Com 21 anos de profissão, Monica trabalha na Secretaria de Educação de Igarassu, município da região metropolitana do Recife, onde atua cedida pelo Estado de Pernambuco. Ela é quem conduz a formação dos professores do Fundamental I em Matemática. “Como professora, não tinha experiência com os anos iniciais, mas há três anos estou mais próxima dessa realidade”, conta.

Como parte do Time de Autores, a relação com os primeiros anos do ciclo básico ficou mais estreita, uma vez que a professora produziu dez planos de aula para alunos do 5º ano. Além da troca de vivências com outros educadores, a partir desse trabalho Monica também teve a oportunidade de dar aulas para algumas turmas dos anos iniciais.

Mas as propostas para alçar novos voos não pararam por aí. Monica continua a colher frutos de sua participação no Time de Autores, como convites para fazer parte de projetos de relevância nacional, sendo que alguns ainda precisam ser mantidos em sigilo. Segundo ela, a experiência com a Nova Escola proporcionou aprofundamento nos estudos. “A preparação dos planos de aula exigiu muita leitura, muito estudo, muitos debates com o mentor e muitas pesquisas para escolher as estratégias mais adequadas para trabalhar as habilidades da Base. Outras portas se abriram para mim, sempre tendo como referência a minha participação no Time de Autores”.

 

Mudanças

Para a professora Monica do Nascimento, a educação é uma mola propulsora para a mudança em cada pessoa e, de forma geral, o carro-chefe de transformações sociais. Por isso, ela afirma que se tivesse um superpoder escolheria o de proporcionar uma vida melhor para os professores, de forma que isso se refletisse na qualidade da educação.

Os avanços não seriam limitados a melhores condições financeiras, conforme explica Monica, mas principalmente traduzidos em melhores condições de estudos e pesquisas. “Definiria melhor o sistema educacional dos anos iniciais porque é desumano”, diz. “Embora isso aconteça desde sempre no Brasil, o professor dar conta de tantas áreas específicas com tantas concepções, fundamentações e teorias, não dá”. Monica diz que é preciso promover a especialização dos profissionais de Educação, diminuir a carga-horária de trabalho e aumentar a de estudo. “Como especialista, observo que há lacunas significativas no conhecimento do professor nessas áreas e, consequentemente, os obstáculos na aprendizagem dos alunos também são notados”.

Uma outra forma de mudar a realidade da educação no país, segundo Monica, é por meio de projetos como o Time de Autores NOVA ESCOLA. “Se eu pudesse dar nota 10 para alguém seria para quem teve essa ideia, porque pensou no professor que não tem tempo de estudar. Nova Escola foi muito generosa ao pensar em instrumentalizar esse profissional, que muitas vezes se sente perdido e agora tem um canal de fácil acesso, de ampla divulgação, que pode ajudá-lo bastante”, ressalta.

 

Aprendizados

Mais do que pensar maneiras de transformar a educação, integrar o Time de Autores fez Monica pensar mais nos outros. “Aprendi muito sobre Matemática, aprendi muito sobre Educação e aprendi a trabalhar em equipe à distância, a me organizar, a cumprir prazos, mas o maior aprendizado foi pensar mais no outro. Foi questionar se o que estávamos produzindo estava claro para o professor e para o aluno. Com certeza são aprendizados que levarei por toda a minha vida”.

O que faz um bom plano de aula de Matemática

1 - Desafia o aluno;
2 - Problematiza os conceitos matemáticos relacionando a situações do cotidiano;
3 - Considera o protagonismo do aluno;
4 - Viabiliza a construção e a promoção da criatividade;
5 - Estimula o raciocínio autônomo;
6 - Sensibiliza o estudante a perceber a importância da Matemática nas práticas sociais;
7 - Explora a ludicidade como meio/recurso para a promoção da aprendizagem em Matemática.

 

Monica Dias do Nascimento é formada em Ciências com Habilitação em Matemática pela Fundação de Ensino Superior de Olinda (FUNESCO); especialista em Ensino de Ciências com Habilitação em Matemática; mestre e doutoranda em Ensino de Ciências com Habilitação em Matemática pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

Tags

Guias

Tags

Guias