Assim não dá! - Artesanato é mais que trabalho manual

POR:
Beatriz Vichessi

O artesanato é um conteúdo da disciplina de Arte entre muitos outros que o professor pode (e deve) ensinar. Porém resumi-lo à produção de objetos não adianta. Ele só será siginificativo se tiver um objetivo cultural. Para isso, o educador precisa ir além, definir enfoques e trabalhar questões que contextualizem o assunto, como a região onde o objeto é produzido, os procedimentos adotados pelos artesãos, os materiais empregados, a época em que surgiu etc. São essas, entre muitas outras abordagens, que vão ajudar a revelar para os estudantes o valor desse tipo de trabalho tão enraizado na cultura brasileira (e às vezes desvalorizado). A produção propriamente dita é só um dos aspectos a tratar em sala de aula. Ao produzir determinado objeto artesanal, os alunos devem experimentar o processo de trabalho realizado pelos artesãos - mas vale lembrar que a manualidade não pode ser usada na escola com o pretexto de desenvolver a coordenação motora. Assim, o professor deve permitir e estimular que as crianças façam modificações de cor e de tamanho nas peças, por exemplo, ainda que os detalhes técnicos sejam uma forte caracterísitica do artesanato. É importante descartar qualquer exigência de semelhança. Os estudantes não são artesãos e a escola é uma instituição que tem por objetivo favorecer o acesso ao patrimônio histórico e cultural da humanidade - até porque, para muitos brasileiros, ela é o único caminho para isso.

Consultoria Marisa Szpigel, selecionadora do Prêmio Victor Civita Educador Nota 10.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias