Compartilhe:

Jornalismo

Alfabetização: Projetos de leitura e escrita para começar o ano

Conheça quatro sugestões de projetos para avançar nas aprendizagens dos alunos

PorMara Mansani

21/02/2022

Crédito: Getty Images

Os projetos de leitura e escrita sempre estão presentes em nossos planejamentos no início do ano letivo – quase como atividades permanentes. Na alfabetização são propostas que potencializam a aprendizagem dos estudantes quando temos intencionalidade pedagógica, ou seja, temos bem definido o que as crianças precisam aprender.

Muitas vezes encaramos negativamente o uso de projetos, pois temos a visão que são um trabalho extra. Na verdade, é o contrário. Eles facilitam e organizam o que já deve ser feito.

Sendo assim, o passo a passo das etapas, os objetivos a serem atingidas e a avaliação contínua indicam como está a aprendizagem e apontam a necessidade de ajustes no percurso planejado.

Cursos gratuitos: Intensivo de Alfabetização

São 60h de formação. Conheça as principais correntes de ensino em Alfabetização e entenda como inovar sua prática pedagógica utilizando metodologias ativas para estudar diferentes gêneros textuais.


São muitas possibilidades de projetos de leitura e escrita que podem ser desenvolvidas em sala de aula.  Compartilho com vocês quatro propostas que costumo desenvolver ao longo do ano em minhas turmas.

FOCO NA LEITURA

  1. Explorando a leitura através de grandes obras literárias

Neste projeto, os alunos entram em contato com poemas de grandes nomes da literatura infantil como, por exemplo, Cecília Meireles e Vinícius de Moraes. Muito desses textos já são conhecidos pelas crianças oralmente, sabem de memória.

A partir deles é possível realizar várias atividades com as crianças:

- Fazer uma leitura com ajustes, isto é, as crianças acompanharem a leitura feita pelo professor e buscarem relacionar o que está sendo falado ao que está escrito. Para isso, o professor deve ter o texto em formato cartaz para que todos os alunos possam acompanhar e também cada um estudante deve ter sua cópia para fazer a leitura individualmente.

- Propor que cada criança faça uma apresentação para a turma dos poemas de um autor escolhido.

- Fazer a localização de palavras do texto a partir de um ditado pelo professor.

- Reorganizar o texto fatiado. Nesta atividade os alunos têm de ler os versos de poemas e coloca-los na ordem correta.

- Rodas de leitura para fazer apreciação dos poemas. Pode ser o momento para que tenham contato com os livros de onde foram extraídas as leituras.

- Explorar a biografia desses autores – fatos marcantes, curiosidades, entre outros aspectos. É importante que conheçam e identifiquem a obra literária dos poetas de forma a valorizar a arte e a cultura.

Em muitos lugares onde trabalhei, cada turma de alfabetização escolhia um desses grandes autores para se aprofundar em sala de aula. Ao final do projeto, os alunos apresentavam para os colegas, em um sarau da escola, a vida e as obras do escritor que haviam estudado.

  1. Leitura com diferentes propósitos

Muitas vezes, professores focam somente na leitura de textos literários e deixam de lado os demais. No entanto, é necessário ampliar esse leque para que a leitura faça sentido, por exemplo, em situações reais do dia a dia.

Com isso, a proposta deste projeto é trabalhar a ideia de “ler para seguir instruções”, descrito pela especialista Isabel Solé, em seu livro Estratégias de Leitura. Segundo ela, “a tarefa de leitura é completamente significativa e funcional”. Isto é, não é suficiente ler, mas sim compreender o que se lê.

Durante o desenvolvimento desta sequência, é possível a cada semana explorar leituras de textos instrucionais que fazem parte do dia a dia das crianças. Por exemplo, uma semana podem ser manuais de jogos; na outra, receitas de comidas; depois, como fazer ou construir algo; e assim por diante.

Essa leitura deve ser realizada, em um primeiro momento, pelo professor com toda a turma. Depois, em duplas e, por fim, de forma individual – sempre com apoio do educador.

Outro ponto importante é concretizar a ação proposta na leitura em pelo menos um dos momentos. Por exemplo, fazer a receita que leram ou o jogo que aprenderam. Dessa forma, favorece a compreensão da leitura feita.

Recomposição de aprendizagem: Apoie a alfabetização de alunos impactados pela pandemia

Saiba como permitir o avanço dos alunos que estão com dificuldades na leitura e na escrita e conheça estratégias para estimular os estudantes com defasagens


PROJETOS DE ESCRITA

  1. Álbum de fotos

Para desenvolver a escrita, um projeto que traz muita aprendizagem na alfabetização é a produção de álbuns temáticos, no qual os alunos devem escrever legendas para as imagens. Eles podem ser sobre árvores, flores, brinquedos, personalidades esportivas, pessoas da comunidade escolar ou qualquer outro tema de interesse da turma.

Após essa escolha, é preciso fazer as seleções das fotos que irão compor o álbum. Esta etapa deve ser feita com a participação das crianças.  Dependendo do tema, elas podem fotografar ou contribuir na escolha das imagens.

Cada estudante deve produzir o seu, de forma que cada um tenha seu exemplar com seus registros, mas o processo de escrita é coletivo e colaborativo. Todos contribuem, de acordo com sua hipótese, para escrita de cada fotolegenda – com mediação e apoio do professor que deve fazer intervenções pedagógicas. A proposta de escrita pode também ser individual ou em duplas.

  1. Escrita correio da turma

Todos os anos faço um correio de classe, no qual os alunos podem mandar bilhetes, recadinhos e mensagens entre eles. Mesmo hoje em dia, com tantas formas e meios de se comunicar, o bilhete ainda se faz presente e as crianças adoram escrever para os colegas da turma.

Por isso, o Correio da Turma é um projeto permanente na minha prática como alfabetizadora. Cada aluno deve escrever para um determinado colega previamente escolhido. Dessa forma, todos recebem pelo menos uma mensagem e depois ficam livres para enviarem recados para quem desejarem.

Durante a semana trabalho com eles a escrita. Acompanho e faço intervenções de forma individual. Na sexta-feira são entregues as correspondências. Cada um deles tem sua “caixa de correio” – que, na verdade, são envelopes com os nomes da turma fixados na parede.

É uma efervescência de escritas em sala de aula durante todo o ano! Essa prática favorece muito o processo de alfabetização – e eles adoram participar. Também escrevo para eles e recebo muitas correspondências.

Explore o potencial do nome próprio na alfabetização

Entenda como usar o nome próprio na alfabetização e confira sugestões de atividades para desenvolver o tema


Como viram são quatro projetos possíveis de serem realizados em qualquer turma de alfabetização, com as devidas adaptações e ajustes, de acordo com as necessidades de aprendizagem na alfabetização de seus alunos.

Apenas destaco dois pontos de atenção: os projetos as leituras e escritas são sempre trabalhados conjuntamente, no entanto em cada momento um deles está em maior evidência. O segundo é que as crianças em alfabetização, mesmo quando ainda não leem e escrevem convencionalmente, precisam ter acesso e participar de situações de leitura e escrita, justamente para chegar à fluência leitora e escritora.

Mas e vocês, queridos alfabetizadores? Quais projetos de leitura  e escrita costumam realizar em suas escolas? Conte aqui nos comentários!

Um abraço a todos! Até a próxima!

Mara Mansani

Mara Mansani é professora há 34 anos, lecionou em vários segmentos, da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, passando também pela Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em 2006, teve dois projetos de Educação Ambiental para o Ensino Básico publicados pela ONG WWF, no livro “Muda o Mundo, Raimundo”. Em 2014, recebeu o Prêmio Educador Nota 10, da Fundação Victor Civita, na área de Alfabetização, com o projeto Escrevendo com Lengalenga.

continuar lendo