Compartilhe:

Jornalismo

Por onde começar a alfabetização matemática

Confira pontos essenciais para dar início a esse trabalho no 1º ano do Ensino Fundamental

PorSelene Coletti

21/02/2022

Crédito: Acervo pessoal/Selene Coletti

Nas turmas do ciclo de alfabetização há uma grande preocupação em trabalhar a leitura e escrita, pois é necessário dar conta da construção do sistema de escrita. Dessa forma, muitas vezes, o olhar para a Matemática fica em segundo plano. Falo por experiência própria, pois no início da minha jornada como alfabetizadora, fiz isso. 

Para te ajudar a fazer diferente, separei pontos que serão importantes para dar início ao processo de alfabetização matemática no 1º ano do Ensino Fundamental. Afinal, é necessário ter uma boa base para que a semente brote e dê frutos.


Por onde começar

Para você, Matemática é estar em constante movimento de trocas, refletindo e agindo sobre os objetos de conhecimento ou é fazer listas de exercícios? Com essa pergunta, antes de entrar no assunto, te convido a pensar na sua concepção de alfabetização matemática e a sua relação com ela. Isto fará toda a diferença ao longo do ano e se refletirá na sua prática. Idealmente, essa reflexão deveria ser coletiva na escola, mas se não for possível, não tem problema. Começar por sua prática já fará toda a diferença!

Como sabemos, alfabetizar e letrar são processos que estão imbricados. Ter isso bem estabelecido na nossa cabeça é fundamental para planejar as nossas aulas e promover o desenvolvimento integral de todos os alunos. 

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), define o letramento matemático como um conjunto de “competências e habilidades de raciocinar, representar, comunicar e argumentar matematicamente, de modo a favorecer o estabelecimento de conjecturas, a formulação e a resolução de problemas em uma variedade de contextos, utilizando conceitos, procedimentos, fatos e ferramentas matemáticas.”

Curso gratuito: Desenvolvendo o letramento matemático alinhado à BNCC

Entenda o que é o letramento matemático no documento e aprofunde-se em estratégias como a resolução de problemas, a investigação, o desenvolvimento de projetos e a modelagem serão discutidos.


Mas, e na prática? Para te ajudar preparei uma lista de pontos importantes para dar os primeiros passos nesse trabalho no 1º ano – baseado em minha experiência. Confira: 

- Promova um ambiente propício à aprendizagem. Como já abordamos em outras conversas por aqui, precisamos criar um ambiente problematizador que permita a aprendizagem matemática. Isto é, criar um espaço pautado no diálogo, nas trocas e nas interações – com a mediação do professor.

Nesse trabalho é essencial valorizar as falas dos alunos e questionar não somente as respostas inadequadas, mas também as corretas. O importante é estimular a problematização, argumentação e reflexão da Matemática.

Evidente que isto não acontece de uma hora para outra, é resultado de reflexões sobre a prática. Precisamos muitas vezes de um parceiro mais experiente com quem discutir, podendo ser tanto um colega como alguém da equipe gestora. Seja quem for, esteja aberto para este movimento e busque subsídios para torná-lo uma prática diária.

- Organize o espaço físico da sala de aula. Isso envolve a organização das carteiras em grupos e/ou duplas (a depender da proposta) e disponibilizar materiais manipuláveis, de contagem e outros tipos de materiais que contenham informações matemáticas tais como panfletos, propagandas de supermercados, entre outros - confira aqui uma lista com 14 materiais simples que podem estar presentes em sua sala

Não podemos esquecer do calendário, da reta numérica e do quadro de números. Estes não podem estar apenas fixados na parede, mas devem ser utilizados nas atividades.

Curso gratuito: Jogos matemáticos para melhorar a aprendizagem no Fundamental 1

Entenda como fazer para um trabalho com jogos com base no planejamento de aula, proposto pelo professor Fernando Barnabé, que leva em conta as habilidades da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).


- Tenha intencionalidade pedagógica nas suas atividades. Para tal, é essencial ter um planejamento detalhado de quais habilidades e conteúdos serão trabalhados bem como as estratégias a serem utilizadas.

Esteja atento às necessidades dos alunos, apure o olhar para analisar avaliações diagnósticas e processuais e registre (por escrito, vídeos ou fotos) o que foi observado no cotidiano da turma.

- Tenha um planejamento semanal. Eu tenho um semanário em que coloco o que e o como vou trabalhar os conteúdos sejam os referentes à Matemática, sejam os referentes às demais áreas do conhecimento.

A partir do conteúdo, detalho as etapas, as questões e intervenções a serem feitas. Ao final da semana, registro as observações que irão me ajudar a pensar a semana seguinte para dar continuidade aos avanços dos alunos. Deixo aqui um modelo de um semanário para ajudá-los a pensar nesta forma de registrar.

- Valorização da leitura e escrita nas aulas de matemática. Na alfabetização da língua escrita é crucial o trabalho com diferentes gêneros textuais. Na alfabetização matemática não é diferente.

Por isso, apresente diversos tipos de textos que contenham informações matemáticas – por exemplo, que tragam porcentagens, tabelas, gráficos, algarismos romanos, números na forma decimal, na forma fracionária, entre outros. A exploração desses materiais permitirá que, com o passar do tempo, os alunos tornem-se críticos e sejam capazes de interpretar esses dados quando aparecerem nas suas leituras.

Por sua vez, a escrita matemática representada pelo registro matemático também precisa estar presente: seja por meio de representações pictográficas (desenhos), tabelas, gráficos, listas, estratégias e produção de regras de jogos, resolução de problemas, dentre tantas outras possibilidades. No começo, quando os alunos ainda estão no início do processo de alfabetização, o professor pode ser o escriba.

Planeje as aulas de Matemática na volta à escola

Saiba como eleger as prioridades para as aulas de Matemática na volta às escolas e conheça sugestões de como lidar com possíveis defasagens da turma e como trabalhar aprendizagens fundamentais para os alunos.


- Garanta a socialização das aprendizagens matemáticas. Seja um jogo, um trabalho em grupo ou uma atividade individual, o momento de socialização das estratégias utilizadas precisa estar presente nas aulas uma vez que permite a troca de ideias matemáticas. Após essa conversa, proponha que elaborem um texto coletivo da atividade realizada e o que descobriram. No 1º ano, o professor pode ser responsável por escrever a partir do que as crianças ditam – esse exercício possibilita que estejam em contato com a escrita.

Esses são alguns dos pontos que precisam fazer parte do cotidiano escolar – não apenas no 1º ano, mas também nas demais turmas. E você como vem investindo na alfabetização matemática em suas aulas? Conte-nos.

Até a próxima!

Selene

Selene Coletti é professora há 40 anos na rede pública. Atuou na Educação Infantil e foi alfabetizadora por 10 anos, lecionando do 1º ao 5º ano. Em 2016, foi uma das ganhadoras do Prêmio Educador Nota 10, da Fundação Victor Civita,  com o projeto “Mapas do Tesouro que são um tesouro”, na área de Matemática. Foi diretora de escola e recebeu, em 2004, o Prêmio “Gestão para o Sucesso Escolar”, do Instituto Protagonistes/Fundação Lemann. Atuou como coordenadora do Núcleo de Formação Continuada e também como formadora da Educação Infantil na Prefeitura de Itatiba (SP). Atualmente é vice-diretora da EMEB Philomena Zupardo, em Itatiba.

continuar lendo