Compartilhe:

Jornalismo

Sondagem: Jogos matemáticos para os primeiros dias de aula

Confira sugestões para fazer o diagnóstico de uma forma diferente (e mais significativa)

PorSelene Coletti

07/02/2022

Crédito: Acervo Pessoal/Selene Coletti

Atrelado ao planejar está o avaliar. Neste momento, temos à nossa frente um quadro desafiador: alunos com diferentes saberes e em diferentes níveis. E exatamente por isso faz-se necessário utilizarmos a sondagem das aprendizagens matemáticas.

Esse diagnóstico dará o norte para estabelecermos as prioridades para a nossa turma, pois nos mostrará o perfil do grupo pontuando as necessidades e o que nossos alunos já sabem. Ano passado a sondagem foi um dos temas de nossa conversa por aqui – entenda a importância desse instrumento e sugestões práticas de como fazer essa verificação.

Certamente, nos encontros formativos de início de ano, foi discutida a necessidade de conhecer a turma para poder saber “o que” e “como” irá ser trabalhada a escrita, a leitura e a matemática.


Para começar

Entretanto, antes de aplicar as avaliações diagnósticas, lembre-se que o acolher o aluno neste momento é fundamental! Começar de cara com a sondagem não costuma funcionar, pois o aluno ainda está se adaptando à nova turma e ao novo professor. Posso falar isto de experiência própria, pois todas as vezes que assim o fiz, percebi insegurança em algumas crianças e precisei refazer o trabalho em outro momento. Cuidar do acolhimento previamente, especialmente no atual cenário, é essencial.

Por isso, proponho que você utilize, neste período de acolhimento, atividades lúdicas como forma de promover a adaptação das crianças. É uma forma diferente de fazer uma sondagem matemática, porém mais significativa.

Vou ajudar você a pensar em alguns jogos que permitirão avaliar a escrita numérica e o entendimento do sistema de numeração decimal bem como a resolução de situações-problemas – aspectos fundamentais a serem verificados na sondagem.

Nesse processo, tenha um olhar atento com os alunos, observe como resolvem e compreendem as propostas, e abra espaço para ouvir como pensam. Assim, você começa a traçar o perfil da sua sala e vai detectando o que será necessário focar neste novo percurso. Não deixe de registrar estes momentos!

Planeje as aulas de Matemática na volta à escola

Eleja as prioridades para as aulas de Matemática na volta às escolas e confira sugestões de como lidar com possíveis defasagens da turma e de como trabalhar aprendizagens fundamentais para os alunos.


Avaliando a escrita numérica

Se a sua turma for de 1º ano do Fundamental, que tal começar com um Bingo de números? Este é um jogo bastante conhecido das crianças e dos professores. Ele pode ser adequado para o contexto de cada turma e também pode ser adaptado para ser utilizado com outros anos. No botão abaixo, poderá baixar um modelo que preparei.

Peça que cada um monte a sua cartela com números do 1 ao 30 – para os mais velhos, aumente os números. Enquanto escrevem observe quem está utilizando o calendário da classe ou o quadro numérico como apoio. Conforme acompanha esse movimento, solicite que alguns leiam o que escreveram. Num outro momento, chame os demais para fazer essa leitura.

Em seguida, vá sorteando os números e observando o grau de dificuldade para identificá-los. Mesmo se algum aluno completou a cartela, continue o sorteio. Assim, você garante mais oportunidades de participação.

Depois peça que coloquem os números escritos na cartela em ordem crescente com o objetivo de saber se conhecem o valor de cada número.

Decomposição de números

Para as turmas a partir do 2º ano, avalie o que sabem sobre a decomposição dos números. Proponha que construam uma cartela, a partir de um ditado, com os números decompostos. Por exemplo, ao falar 145 e eles terão de escrever 100+40+5. Dessa maneira, você poderá saber o que estão compreendendo do sistema de numeração decimal.

Outra possibilidade, utilizando o Bingo de Números, é solicitar que montem a cartela com números de 100 a 200. Para ditar o sorteio, dê o número na sua forma decomposta. Isto é, no lugar de falar 182, você dirá 100+80+2 e a turma terá que marcar o 182.

Conservação de quantidades

Para as turmas do 1º ano (e em alguns casos do 2º ano), também é importante verificar a conservação de quantidades – saiba mais aqui. Os jogos envolvendo dados permitem fazer esse trabalho, pois possibilitam observar se as crianças conservam as quantidades, isto é, se conseguem visualizar uma quantidade e continuar a contagem a partir do segundo dado. Por exemplo, se nos dados aparecem 3 e 5, a criança visualiza o 3 e continua a contagem a partir do 5.  

Essa habilidade pode ser analisada ao propor o Jogo das 7 cobras. Em duplas, os alunos devem jogar os dois dados e marcar no tabuleiro os números obtidos. Cada vez que sair o 7, ele deve marcar (ou desenhar) uma cobra no espaço destinado ao “ninho de cobras”. Vence o jogador que marcar todos os números ou se o adversário fizer 7 cobras primeiro. No botão abaixo, baixe as regras e um tabuleiro do jogo.

Enquanto as crianças jogam, observe as duplas e anote aqueles que ainda não conservam as quantidades. Para isso utilize uma pauta de observação, anotando nela o que suas crianças sabem e o que ainda precisam saber – baixe aqui um modelo para guiar seu olhar.

Depois da realização dessas propostas, analise os seus registros. Com o perfil em mãos e seus registros, você saberá o que será necessário trabalhar para permitir avanços de toda a turma e poderá dar início ao planejado focado nas necessidades de aprendizagens dos alunos.

Curso gratuito: Jogos matemáticos para o Ensino Fundamental 1

Entenda o que deve ser considerado na escolha de um jogo e como ele pode ser um recurso eficiente e potencializador, capaz de desenvolver as habilidades propostas na BNCC.


Situações-problemas

Para avaliar como as crianças resolvem situações-problemas por meio de jogos, escolha, por exemplo, um jogo de percurso de acordo com as preferências da sua turma – também é possível utilizar o Jogo das 7 cobras. Para te ajudar a pensar nessa atividade, confira este texto sobre como construir jogos de tabuleiro utilizando poucos recursos

Deixe que joguem em pequenos grupos – lembrando de obedecer aos protocolos sanitários. Circule pela sala para observar (e registrar) como os alunos compreenderam as regras a partir da forma que jogam. Intervenha se for o caso, perguntando como se joga, por exemplo, ou solicitando que descrevam a jogada.

Depois de algumas partidas, quando já estiverem entendendo as regras e funcionamento do jogo, traga situações-problemas relacionadas à atividade que acabaram de fazer.

É importante também organizar uma pauta de observação para esta proposta. Esses registros ajudarão a pensar em diferentes estratégias de trabalho para atender às diferentes necessidades de aprendizagens dos alunos.

Como você pode ver, estas sugestões são formas diferentes de avaliar as aprendizagens dos alunos. Esse tipo de atividade pode ajudar a conhecer o grupo e a desenhar as necessidades de sua turma. Pode não ser fácil, mas é fundamental e trará excelentes resultados ao longo do percurso.

E você, como pensou em fazer a sondagem matemática neste primeiro momento? Estou curiosa para saber. Conte para mim aqui nos comentários.

Um ótimo trabalho!!!

Até a próxima!

Selene

Selene Coletti é professora há 40 anos na rede pública. Atuou na Educação Infantil e foi alfabetizadora por 10 anos, lecionando do 1º ao 5º ano. Em 2016, foi uma das ganhadoras do Prêmio Educador Nota 10, da Fundação Victor Civita, com o projeto “Mapas do Tesouro que são um tesouro”, na área de Matemática. Foi diretora de escola e recebeu, em 2004, o Prêmio “Gestão para o Sucesso Escolar”, do Instituto Protagonistes/Fundação Lemann. Atuou como coordenadora do Núcleo de Formação Continuada e também como formadora da Educação Infantil na Prefeitura de Itatiba (SP). Atualmente é vice-diretora da EMEB Philomena Zupardo, em Itatiba.

continuar lendo