O que secretarias e governos podem fazer
Artigo

Opinião

A Base Nacional Comum em discussão

Professor deve ser prioridade
Para especialista, formação continuada é essencial para a efetivação da BNCC

A BNCC deixa claros as habilidades e as competências que os alunos devem aprender ao longo da escolaridade. Comparar, argumentar, analisar, ler, planejar e construir. Essas e muitas outras habilidades expressas no documento demandam um ensino que promova oportunidades para a criança ou o jovem desenvolver integralmente seu potencial. No entanto, para isso ocorrer é fundamental que os professores tenham acesso, nos espaços de formação, a práticas análogas às indicadas aos estudantes. Por isso o investimento para aprimorar o trabalho dos docentes é prioridade no enfrentamento dos problemas educacionais atuais e na incorporação da Base no espaço escolar.

Os professores necessitam ter oportunidades para refletir sobre a prática, fundamentá-la e buscar alternativas para que os alunos aprendam o que é esperado. Para tanto, é preciso forte investimento no acesso a conhecimentos sobre crianças e adolescentes, campos de experiências e didáticas específicas das áreas, de maneira que eles tenham condições teóricas para obter o domínio profissional almejado. Somente vivenciando situações formativas que estimulem a cooperação e sejam instigantes, os docentes poderão oferecer aos estudantes experiências semelhantes.

"A BNCC marca um compromisso ético com a aprendizagem de todos, sem exceção."

Com a Base, o detalhamento ano a ano das habilidades para o Ensino Fundamental e Ensino Médio desencadeará a necessidade de estabelecer processos de acompanhamento das aprendizagens dos estudantes – fator essencial para melhoria. Será preciso observar e agir considerando as diferenças individuais e propor ações diversificadas para que todos atinjam o esperado no ano e na etapa de ensino. Eventuais ajustes de propostas também deverão ser feitas em função das necessidades de cada indivíduo e do grupo. A diferença é que, agora, as reuniões de conselho de classe terão uma referência comum para avaliação e encaminhamento de alunos que não estejam aprendendo conforme o esperado. Isso porque o parâmetro se tornou público e não é mais um critério individual, ou de uma escola. A BNCC gera um denominador nacional para a incorporação das diversidades e para a garantia de continuidade das aprendizagens entre turmas, entre os anos de escolaridade e entre cada território do país.

A definição das aprendizagens a ser conquistadas na Educação Básica possibilitará ao professor realizar um planejamento mais assertivo das aulas e das demandas para sua formação. Mas, como os alunos, os docentes também necessitam ser atendidos de modo personalizado. A BNCC marca um compromisso ético com a aprendizagem para todos, sem exceção. É uma grande oportunidade para a efetivação de um currículo potente, que faça sentido para alunos e também professores.

Tereza Perez é diretora executiva da Comunidade Educativa Cedac

Leia mais artigos sobre o tema
[+] Quatro desafios para a Base
Implementação precisa contar com colaboração de todos
por Cesar Callegari